29/04/2019

Preso após júri, caminhoneiro que se envolveu em acidente com 5 mortes é solto, em Ponta Grossa

Homem foi condenado a 16 anos de prisão em regime fechado por homicídio, na quinta-feira (25); acidente foi em agosto de 2014, na BR-376. Caminhoneiro condenado por matar família em acidente deixa cadeia em Ponta Grossa Um caminhoneiro preso após ser condenado a 16 anos de prisão em regime fechado, na quinta-feira (25), foi solto na manhã deste sábado (27) e poderá aguardar os recursos em liberdade, conforme decisão do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR). Rafael Conrado foi levado para a cadeia após o júri popular que durou mais de 10 h, em Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná. Os jurados entenderam que ele causou um acidente, em agosto de 2014, na BR-376, que matou cinco pessoas da mesma família. A condenação se deu por homicídio com dolo eventual - quando se assume o risco de matar. Para permanecer em liberdade até o trânsito em julgado do processo, o caminhoneiro precisará cumprir medidas cautelares, como não dirigir, não sair à noite e frequentar bares, não sair da comarca por mais de oito dias e comparecer ao fórum uma vez por mês. A defesa de Conrado e o assistente de acusação informaram à reportagem que já aguardavam a decisão do TJ-PR. Entenda o caso O acidente aconteceu em 4 de agosto de 2014. Conforme a denúncia, Conrado dirigia um caminhão bitrem carregado com farelo de soja. O veículo invadiu a pista contrária e acertou o carro onde estava a família. Todos morreram na hora. Entre as vítimas, havia duas crianças. Uma delas fazia aniversário no dia do acidente. A família estava voltando da comemoração da festa de aniversário. A operação de resgate durou a noite inteira. O motorista do caminhão foi preso enquanto era atendido no Hospital Municipal, depois que o teste do bafômetro apontou que ele tinha bebido. Rafael Conrado nega que tenha bebido no dia. Ele respondia ao processo em liberdade desde 2016. Veja mais notícias da região no G1 Campos Gerais e Sul.